Mentes transformadas: os solos da alma humana

Atualizado: 2 de jan. de 2019



“Por isso lhes falo por parábolas; porque eles, vendo, não vêem; e, ouvindo, não ouvem nem compreendem.”

Mateus 13:13


Jesus era um excelente contador de histórias. Nos conhecendo mais do que a nós mesmos, Ele sabia das nossas limitações e, assim, desenvolveu uma “técnica” para nos fazer compreender as suas mensagens. Através de parábolas, nós, humanos falhos, refletimos e absorvemos com mais facilidade as lições de Cristo. E dessa forma, Jesus vai plantando sementes para nos mudar de dentro para fora. É nesse contexto de histórias e sementes que chegamos a Parábola do Semeador.


“Eis que o semeador saiu a semear. E, quando semeava, uma parte da semente caiu ao pé do caminho, e vieram as aves, e comeram-na; E outra parte caiu em pedregais, onde não havia terra bastante, e logo nasceu, porque não tinha terra funda; Mas, vindo o sol, queimou-se, e secou-se, porque não tinha raiz. E outra caiu entre espinhos, e os espinhos cresceram e sufocaram-na. E outra caiu em boa terra, e deu fruto: um a cem, outro a sessenta e outro a trinta.”

Mateus 13:3-8


O que você pensa quando escuta a palavra transformação? É muito comum que a gente foque logo nas transformações que queremos para o nosso próximo, então ignoramos a necessidade de transformação dentro de nós mesmos. Mas a verdade é que, as coisas só mudam quando a gente muda primeiro, ou pelo menos, quando reconhecemos e tomamos a decisão de mudar. A transformação tem que começar a acontecer em nós para, em seguida, ser refletida ao nosso redor.


Jesus veio para trazer transformação. Veio para quebrar nossos paradigmas e mudar todos os pensamentos que construímos ao longo da vida. Você já tomou a decisão de mudar hoje? Enquanto estivermos na terra, nós precisamos estar em constante evolução, precisamos mudar todos os dias em busca de nos parecermos cada vez mais com quem foi Jesus humano.


A Parábola do Semeador fala sobre quatro tipos de solo que devem ser comparados a nossas vidas atuais e aonde devemos chegar na nossa transformação como cristãos. O 1º solo são pessoas que vivem a sua própria realidade. Fechadas, não estão abertas a aprender novos caminhos ou sequer conhecer a Deus. O coração é compacto como terra de estrada: rígido e seco; O 2º tipo de solo é melhor que o anterior. São pessoas que se permitem aprender sobre Jesus, mas depositam a energia em outras coisas e não desenvolvem uma intimidade com Deus. São superficiais e sucumbem quando a seca vem, pois, não firmaram raízes para encontrar as águas profundas; Já o 3º tipo de solo é melhor que os dois citados. São pessoas sensatas que valorizam o relacionamento com Deus ao invés do mundo exterior. Entretanto, não estão preparadas para lidar com os problemas interiores, se deixando consumir pela insegurança, ambição, orgulho, arrogância e competição, que as sufocam como os espinhos. Tendem a murchar; Por fim, o 4º e último solo é onde devemos nos encontrar: a boa terra que, apesar de não ter as flores perfeitas, tem corações que se abrem, se firmam, superam conflitos internos e externos, dão valor ao que importa e disseminam a Palavra, gerando cada vez mais frutos.


Se você encontrou em que tipo de solo o seu coração está e não se agradou com a resposta: não se preocupe. Não existe solo inútil ou imprestável. É normal que a nossa vida mude quando conhecemos a Deus. Nossos princípios mudam, nossas prioridades mudam, nossas rotinas mudam. Mas ainda somos seres imperfeitos, complicados, impuros, pecadores, que erram e fracassam. Apesar de não podermos deletar o nosso passado, sempre podemos editar e recomeçar o nosso futuro. Se você errou, se arrependa verdadeiramente, peça perdão e recomece. Até o Rei Davi precisou passar por esse processo. Lembre-se: nós temos o melhor advogado.


Mas o que é necessário para ser um solo que brota e dá frutos? Primeiro, se pergunte: eu aceito ajuda? Eu tenho humildade de reconhecer os meus erros? Eu perdoo? O segredo não está em não ter defeitos ou problemas, mas em ter raízes profundas em Cristo que te ajudarão a se nutrir para superar crises e resistir. Pois Jesus nos ensina a tirar as pedras do caminho, nos ajuda a desviar dos espinhos e é a única fonte que pode saciar a nossa sede eternamente. Amém?


A verdade é que a resposta é simples e cabe em um parágrafo: seja humilde, reconheça suas falhas, se arrependa verdadeiramente, peça perdão, não persista no erro, estude a bíblia, pratique os ensinamentos de Deus e espalhe as boas novas do amor dEle por nós. E, principalmente, abra o seu coração para ser curado e mudado por Cristo. Tome a sua decisão e saiba que só Ele pode verdadeiramente nos transformar.


Mas, o que foi semeado em boa terra é o que ouve e compreende a palavra; e dá fruto, e um produz cem, outro sessenta, e outro trinta.

Mateus 13:23

Karine Assis

Boa Jovem/ 06.10.18


(Texto: Tainá Rodrigues | Fotos: Nathalia Guedes)

44 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo
  • White Facebook Icon
  • White Instagram Icon